Almaúnica

Notícias

i2yqdoh-g.jpg

19/06/2012 Almanaque Jornal Pioneiro Enoteca Maurício Roloff


As uvas Syrah e Malbec não são especialidades do Vale dos Vinhedos. Pelo menos não até que caiam nas mãos do enólogo Márcio Brandelli (na foto acima com Mágda Brandelli). Nesta semana que passou, ele engarrafou em sua jovem vinícola, a Almaúnica, um curioso vinho que leva essas duas variedades, além de Cabernet Sauvignon e Merlot, símbolos da região.

O nome no rótulo não poderia ser mais simples e óbvio: Quatro Castas. No entanto, não traduz o espírito desse produto, que expressa múltiplas camadas de aromas e sabores, formando uma complexa combinação à qual tive a chance de provar pouco antes de o líquido deixar as barricas.

As uvas estagiaram por 24 meses em carvalho, o que se percebe pelo ataque de baunilha que o vinho traz ao nariz. A composição final privilegiou a Syrah, com 34%, e o resto foi dividido entre as demais castas em partes iguais....O resultado é um emaranhado de cheiros, indo de especiarias adocicadas até um refrescante mentolado que chega a lembrar enxaguante bucal, de tão presente. No primeiro gole, se percebe logo os 14% de álcool, mas a potência está muito bem equilibrada com a tanicidade arredondada típica da Almaúnica.

Certamente um vinho gastronômico, mas não para qualquer prato. Ele chega ao varejo na segunda quinzena deste mês por R$ 85. Soa caro, mas vale a experiência.

Voltar